A viagem a Bruxelas foi pouco ou nada planeada. Um voo low-cost bastante apetecível, uns meses antes, tinha ditado o destino. Quando Outubro chegou e com ele a data não existiam ainda reservas, roteiros ou grandes expectativas.

Não poderia ter corrido melhor! Aqui fica o meu Guia:

dia11Chegámos bem cedo a Bruxelas, ao Aeroporto de Charleroi. A 60 km da capital, a viagem é feita de autocarro até à capital. A empresa é a Brussels City Shuttle e os bilhetes podem ser comprados no aeroporto. Custam 13€ ou 22€ se comprar ida/volta e partem a todas as horas em direcção à estação Brussels Midi. A partir da estação pode-se apanhar metro ou autocarro. Nesse dia chovia IMENSO e como tal o processo de apanhar metro, chegar ao apartamento e comer alguma coisa, tornou-se algo… lento. Apenas com a tarde de sobra o esquema foi: guarda-chuva and no plans. Caminhámos bastante e sem saber acabámos por passar por lugares que planearíamos, à noite, visitar no dia seguinte.

dia21O segundo dia amanheceu frio, mas sem nuvens! Caminhámos até à zona do Musées Royaux des Beaux-Arts e Place du Grand Sablon, perto do apartamento, em direcção à Grand Place, fantástica com o lindíssimo Musée de la Ville e Maison du Roi e animada  pelo mercado de flores. Deixando a Grand Place pela Stoofstraat somos inundados pelas inúmeras lojas de souvenirs e quiosques com as waffles mais pecaminosas que possamos imaginar. Mal reparamos no pequeno Manneken Pis, senão fossem os turistas ao seu redor. Para conhecer as redondezas voltámos à praça, abandonando-a pela rua oposta até chegar à galeria Saint-Hubert. Após a visita à galeria, passámos o resto do dia a passear de bicicleta, sem nenhum percurso definido, fotografando aqui e ali. À noite saímos com um único propósito: chegar ao mítico Chez Moeder Lambic. Não foi fácil, mas entre caminhadas e pedaladas chegámos ao bar original (nunca conseguindo encontrar o segundo, que pensávamos ser o único). É um lugar pequeno, na esquina de um edifício e sem carta. O pedido, em caso de dúvida, é escolhido pela casa, após um perfil traçado pelo empregado de qual a cerveja ideal, resultado das perguntas que nos faz. Ideal para experimentar a cerveja belga!

dia33

O último dia foi entregue mais aos clichés turísticos de bruxelas, digamos assim: Atomium e o Parlement Européen. Ao primeiro, afastado da cidade, fomos de metro. O ideal é partir da Gare du Midi, fazendo a viagem num só trajecto, ou de Brouckère, perto da Grand Place, com um transbordo. Optámos pela primeira opção e a viagem foi bastante curta. A visita ao Atomium custa cerca de 11€ e proporciona vistas fantásticas de Bruxelas e toda a mancha verde ao seu redor. Quando descemos, em vez de voltarmos imediatamente ao centro da cidade, levantámos outra bicicleta e aproveitámos para conhecer melhor os parques e jardins que avistámos. Foi também a pedalar que foi feita a visita ao Parlement Européen e ao Parc du Cinquantenaire, para fechar o dia.

dicas de alojamentoPreferimos ficar num apartamento bem no centro de Bruxelas. Deste modo, pudemos tomar o pequeno-almoço sem a pressa ou os preços abusivos dos hotéis, cozinhar e usar a internet sem custos adicionais. O apartamento era fantástico e a reserva foi feita através do booking.

bike1

No segundo dia trocámos pés por pedais. À semelhança de outras cidades europeias, Bruxelas usa o sistema de bicicletas da Villo. Em 5 minutos temos a bicicleta, por um preço irrisório e podemos deixá-la numa das dezenas estações espalhadas da cidade. Em Bruxelas um passeio de bicicleta satisfaz-nos mais que 3 dias no metro com um guia turístico na mão.

comida1O que dizem é mesmo verdade: Bruxelas cheira a chocolate e a waffles quentes! É difícil caminhar na rua sem resistir à tentação de comprar uma nos cafés ou carrinhas amarelas estacionadas nas praças e jardins. Nem é preciso mencionar os chocolates, divinos e exibidos nas montras das imensas chocolatarias. Nota especial para a cerveja, fazendo jus ao nome do blog. As hipóteses são infinitas e vale a pena espreitar os supermercados onde os preços são bastante mais económicos e têm a mesma oferta. Desta forma, podem provar a máxima variedade possível. Foi exactamente o que fizemos e não nos arrependemos!

Na manhã seguinte partimos em direcção a Brugges que, na minha opinião, seria a melhor parte desta viagem! {próximas histórias…}

Espero que tenham gostado!

Love.

Advertisements